Matéria Prima

PALHA DE BURITI

CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE A PALHA DE BURITI

O buriti é uma palmeira muito alta, nativa de Trinidad e Tobago e das Regiões Centro e Norte da América do Sul, Venezuela e Brasil, predominantemente nos estados da região norte, em especial no Pará, Maranhão, Roraima e Rondônia, mas também encontra-se nos estados do Piauí, Ceará, Bahia, Goiás, Tocantins, Mato Grosso e Acre. É também conhecida como coqueiro-buriti, buritizeiro, miriti, muriti, muritim, muruti, palmeira-dos-brejos, carandá-guaçu, carandaí-guaçu.

 

Em nossos trabalhos utilizamos o que as populações nativas chamam de “seda”, obtida pela extração da fibra encontrada no interior do “olho” ou “folha flecha”, como também é conhecida, em função de seu formato.Trata-se do talo de uma folha jovem, ainda fechada, encontrada em buritis novos, de quatro a 10 metros de altura. A coleta não tem época determinada, podendo ser praticada durante o ano todo.

Embora cada buriti jovem produza de um a cinco “olhos” por ano, a fim de trabalhar sustentavelmente as comunidades locais têm a preocupação de não coletar todos, respeitando o intervalo de seis a oito meses entre cada coleta da mesma planta. Assim, outros “olhos” têm o tempo necessário para abrir a rama (lâmina foliar) e, desse modo, garantir a sobrevivência da planta. Esse tipo de manejo tradicional é amplamente conhecido por artesãos que trabalham com a palmeira em outras regiões do país.

As aplicações do buriti são variadas, da polpa se faz doces, do fruto, óleo e sabão, do tronco, casas, telhados, cestos, do talo das folhas móveis e brinquedos, por tantos usos variados e diversos os nativos a chamavam de “arvore da vida”.